Esta semana, durante o 35 festival de Cine de Mar del Plata, assisti ao documentário La Organización Negra, ejercicio documental (2016), dirigido por Julieta Rocco, que compartilha a trajetória desse grupo de teatro experimental criado em 1984 até a sua dissolução em 1992.

La Organización Negra foi um coletivo argentino de investigação e experimentação teatral criado por um grupo de estudantes dentro do Conservatório Nacional de Arte Dramático. A Argentina acabava de sair de uma ditadura e suas primeiras ações tomavam as ruas depois de um longo período de duras proibições.

São poucos os registros desse período em que começaram…


Haus-Rucker-Co, Food City I, foto: Walker Art Center Archives

Durante a pesquisa que fiz para escrita do último texto conheci uma série de eventos criada pelo Haus-Rucker-Co chamada Food City I (1971). Pareceu-me incrível a proposta de um evento organizado em torno de uma arquitetura comestível. Não pela ação de comer a arquitetura — que talvez até pudesse ter sido interessante pensar sobre -, mas o que poderia estar sendo ativado a partir dessa proposição.

Nesta série de eventos Haus-Rucker-Co construía maquetes, feitas de sanduíches e doces diversos, que em seguida eram consumidas pelo público. Ao construírem esses objetos comestíveis e depois oferecerem-os ao consumo, o coletivo vienense provocava…


Haus-Rucker-Co, Oease №7, instalação na Documenta 5, Kassel, Alemanha, 1972

No começo da quarentena, em uma das milhões de conversas online que assisti, reencontrei a instalação Oase №7 (1972). Dessa vez pude salvar a imagem e guardá-la numa pasta onde “organizo” todas as minhas referências. Normalmente esqueço o que tem lá, mas dessa vez não conseguia tirar aquela imagem da cabeça.

Comecei então a pesquisar mais sobre o grupo Haus-Rucker-Co (autor dessa instalação) e descobri o Environment Transformer (1968), mesma época em que eu estava acompanhando as bem humoradas postagens do escritório austríaco Plastique Fantastique com sua iShield. …


Aproveitando que falei de um dos meus interesses de pesquisa no último texto, voltei dessa vez pra compartilhar um outro tema que me interessa bastante: experiências que acontecem na fronteira entre arte e arquitetura. Trago então dois projetos do escritório carioca Grua Arquitetura: cota 10 (2015) e a praia e o tempo (2018). Duas experiências artísticas/arquitetônicas efêmeras que estabelecem uma relação muito sensível e potente com o território.

cota 10 foi uma das referências do meu trabalho final da graduação em arquitetura e eu ainda me lembro da emoção quando descobri os nossos velhos conhecidos andaimes, tão comuns nos nossos…


Sempre me interessei por práticas artísticas que articulam o poético, o humor e a provocação. Pesquisando cada vez mais sobre artistas mulheres fui reconhecendo o uso da ironia como estratégia de questionamento da identidade feminina, das questões de gênero e das políticas sexuais. Aproveitando essa pesquisa, ao invés de focar na análise de apenas uma obra, dessa vez eu reuni alguns trabalhos da artista austríaca Birgit Jürgenssen (1949–2003) para pensarmos em um possível entrelaçamento entre o uso dos “novos meios”, do surrealismo e da ironia numa perspectiva de um contradiscurso da representação da “mulher” e do “feminino”.

Na década de…


Como você completaria a frase “Como mulher o que mais detesto da cidade é”? Essa foi a pergunta que a artista mexicana Mónica Mayer (1954) fez a cerca de 800 mulheres em 1978. Realizada pela primeira vez para o Salón 77–78 Nuevas Tendencias, El Tendedero é uma obra fundamental dentro da arte feminista latino-americana e vem sendo reativada desde então em diferentes ocasiões e contextos.

El Tendedero, 1978, foto Mónica Mayer

El Tendedero, 1978, foto Mónica MayerNaquele ano, depois de sair as ruas e obter respostas que em sua maioria giraram em torno da violência sexual nas ruas e transportes públicos (momento em que ainda não…


O que dizem da gente os espaços que habitamos? De que maneira esses espaços refletem nossos modos de vida? Para além do exercício técnico, a arquitetura tem um papel fundamental na construção dos nossos hábitos e na forma como ocupamos e compartilhamos espaços e ela também pode ser uma ferramenta para entendermos nossa sociedade.

Em Habitaciones de servicio (2011) Daniela Ortiz trabalha com a mesma temática que conversamos no penúltimo texto sobre 97 empleadas domésticas (2010), mas dessa vez a partir de um outro elemento: o espaço.

Habitaciones de servicio, 16 fachadas das casas que formam parte do projeto (foto: àngels barcelona)

Neste projeto Ortiz nos apresenta uma análise arquitetônica de 16 casas de classe…


Partindo de um recorte autobiográfico vinculado à vida diária, a artista malauiana Billie Zangewa se conecta à temáticas universais. Através do que chama de “feminismo diário”, entrelaça narrativas em retratos afetuosos de cenas ordinárias tidas como desinteressantes ao mesmo tempo em que visibiliza lutas diárias. Incluir a si mesma (uma mulher africana), assim como partir do cotidiano e do doméstico, é uma escolha política para trabalhar questões de identidade que desafiam estereótipos de gênero, raça e classe.

Ma Vie en Rose, 2015 (foto: blank projects)

Ainda pouco conhecida no Brasil, Belkis Ayón Manso foi uma artista cubana especializada em gravura, professora e curadora. Apesar de ter vivido muito pouco, recebeu prêmios importantes e participou de exposições individuais e coletivas como a IV Bienal de Havana em 1991.

Fundamental na renovação da gravura nos anos de 1990 em Cuba, uma disciplina praticamente esquecida depois do seu auge no século XIX — principalmente com a eclosão do modernismo no país -, Manso foi responsável (junto a Sandra Ramos e Abel Barroso) pelo Huella Múltiple, um projeto colaborativo desenvolvido em 1996 que reunia obras gráficas de artistas cubanos…


Conheci o trabalho de Daniela Ortiz em um curso de fotografia latino-americana e venho desde então acompanhando seu olhar sempre muito lúcido e crítico sobre questões vinculadas à classes sociais, gênero e imigração.

“97 empleadas domésticas” (2010) é um dos trabalhos sobre os quais eu sempre quis falar, tão conectado à realidade brasileira ainda que os registros sejam de famílias peruanas (o Brasil é o país com a maior população de domésticas do mundo, uma marca da absurda desigualdade social).

Publicação (foto: àngels barcelona)

A priori os registros (retirados do Facebook entre 2008 e 2009) são de famílias de classe alta em momentos cotidianos…

laura benevides

pesquisadora, artista e arquiteta. aqui reúno textos que escrevo sobre arte e arquitetura.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store